Publicidade  Prefeitura de São Luis

Defensoria do Piauí rebate críticas de Ricardo Murad e diz que MA continua enviando pacientes para Teresina

A Defensoria Pública da União no Piauí denunciou que a Secretaria de Saúde do Maranhão continua enviando pacientes para tratamento em Teresina. Por conta de uma dívida de mais de R$ 8 milhões pelo secretário de Saúde, Ricardo Murad (PMDB), a Prefeitura de Teresina deixou de atender pacientes oriundos do Maranhão.

Ambulância da SES estacionada na porta da Defensoria Pública da União no Piauí.
Ambulância da SES estacionada na porta da Defensoria Pública da União no Piauí.

A denúncia aconteceu depois que o atendimento a uma paciente maranhense, identificada como Maria da Cruz, foi rejeitado em um dos hospitais de Teresina. Na ocasião, a mulher recorreu à Defensoria Pública para tentar assegurar o atendimento.

Na último dia 11, em postagem no Facebook, Ricardo Murad, que é cunhado da governadora Roseana Sarney (PMDB), afirmou que o modelo de saúde do Piaui é fracassado e acusou o secretário de saúde de Teresina, Noé Fortes, de agir com má-fé ao cobrar a dívida milionária que o Maranhão tem com a capital piauiense.

– O esquema de cooptação de doentes oriundos de outros estados se transformou numa atividade econômica essencial para a economia de Teresina que, à margem do SUS, cobram taxas extras para cada serviço prestado aos pacientes e seus acompanhantes – alegou Murad na rede social.

Para o defensor público da União no Piauí, se o secretário Ricardo fala em cooptação de pacientes, a própria secretaria dele, então, faz parte do esquema, pois não deixa de despejar pacientes para atendimentos na rede pública de saúde do estado vizinho.