Publicidade  Prefeitura de São Luis

Pedido de investigação de ministras aumenta distanciamento entre PSDB e Roseana Sarney

O líder do PSDB na Câmara Federal, deputado Carlos Sampaio (SP), deu entrada nesta terça-feira em um pedido de investigação contra as ministras Maria do Rosário (Secretaria de Direitos Humanos) e Eleonora Menicucci (Secretaria de políticas para as Mulheres) junto à Procuradoria-Geral da República.

Roseana e Aécio: diminuem as possibilidades de aproximação entre PSDB e o grupo Sarney no Maranhão.
Roseana e Aécio: crise no estado afasta o PSDB do grupo Sarney.

Na representação, o deputado paulista diz que as ministras “nada fizeram para minimizar as graves violações aos Direitos Humanos e aos Direitos das Mulheres”. Para ele, as ministras deixaram de executar as atribuições dos cargos ao “aparentemente não tomarem qualquer providência para solucionar ou, ao menos, evitar as graves ocorrências denunciadas no complexo penitenciário maranhense”.

Ao adotar tal medida, o PSDB nacional se coloca frontalmente contra a gestão da governadora Roseana Sarney (PMDB), que tenta uma reaproximação com o partido no plano estadual.

Há duas semanas, o Secretário Chefe da Casa Civil do governo do Maranhão, João Abreu, esteve em audiência com a deputada estadual Gardênia Castelo (PSDB) com o objetivo de aparar arestas visando o apoio do partido ao pré-candidato a governador da oligarquia, Luís Fernando Silva, que não cresce nas pesquisas de opinião, enquanto Flávio Dino (PCdoB) mantém larga vantagem na corrida sucessória.

Com o pedido de investigação feito pelo PSDB nacional, entra por água qualquer possibilidade de apoio do partido ao candidato de Roseana, pois a direção nacional tem grandes restrições ao grupo de José Sarney que conseguiu se sustentar nos últimos anos graças à aliança com o PT nacional, adversário ferrenho do PSDB que deverá ter como candidato a presidente o senador Aécio Neves (MG), disputando com a presidenta Dilma Rousseff.