Publicidade  Prefeitura de São Luis

Raimundo Cutrim faz graves acusações contra Aluísio Mendes

cutrim

Ex-secretário de segurança dos governos Roseana, o deputado Raimundo Cutrim (DEM) acusa seu sucessor, Aluísio Mendes, de montar o depoimento do pistoleiro Jonathan Silva para incriminá-lo.

Cutrim foi envolvido na trama no mês de junho passado, depois do vazamento – provavelmente proposital – de um dos depoimentos do executor de Décio Sá. O deputado foi citado três vezes por Jonathan como mandante do crime.

O parlamentar, que perdeu um filho recentemente, voltou a ser relacionado ao assassinato na série de entrevistas que está sendo exibida pela TV Mirante nesta semana.

Segundo o que vem sendo veiculado na TV da governadora Roseana Sarney, Cutrim teria livrado Junior Bolinha – apontado como um dos mandantes do crime – de uma armadilha montada pelo agiota Gláucio Alencar. O nome dele aparece em escutas telefônicas obtidas durante as investigações.

Atual secretário de Segurança Pública do Maranhão, Aluísio Mendes foi promovido ao cargo depois de ter a prisão preventiva decretada pelo Ministério Público Federal, acusado, durante a Operação Faktor, de ser usado por Fernando Sarney para que o empresário tivesse acesso a informações sigilosas dentro da Polícia Federal relativa a ações e investigações que o tinham como alvo. O processo contra eles foi arquivado em 2009.

O desempenho de Aluísio a frente da segurança do estado é desastroso. Sua gestão já contabiliza mais de 2300 homicídios na capital, que elevaram São Luís a condição de 27ª cidade mais violenta do mundo, segundo ranking de uma ONG de segurança pública mexicana. Nas ruas, o clima de terror toma conta da população, apesar de toda ação pirotécnica do estado e das recentes declarações do secretário, que em tom confortante afirmou que a violência é superficial.

A versão corrente no meio político diz que ‘linchamento moral’ contra Raimundo Cutrim é parte da estratégia de Aluísio Mendes para concorrer à vaga de deputado nas eleições de 2014, em recompensa pelos serviços prestados ao senador José Sarney, aos seus filhos Fernando e Roseana, e ao secretário de Saúde Ricardo Murad.

Mas o deputado não vai aceitar as investidas calado. Em discurso ontem, na Assembleia Legislativa, Raimundo Cutrim ameaçou. ‘Essa cabeça aqui tem muita informação, é bom lembrar que eu passei 12 anos como secretário e sei como ir buscar as coisas, não existe um instrumento melhor para saber, até se aqui no plenário tem algum deputado envolvido com agiotagem, é uma Comissão Parlamentar de Inquérito’.