Publicidade  Prefeitura de São Luis

O atual momento político da oposição tem um líder que pode fazer a diferença

O Maranhão, que reconhecidamente possui os piores indicadores socioeconômicos do País, também é atrasado politicamente. Sofre há 50 (cinquenta) anos com o engessamento do poder nas mãos do grupo político que domina o Estado e em razão da falta de uma necessária alternância política acabou se tornando um Estado atrasado em todos os sentidos, até mesmo de novos líderes.

Mas essa realidade começou a mudar em 2006, com um movimento realizado pelo então Juiz Federal, que abandou um dos cargos de maior prestígio e remuneração do Brasil, para se lançar na Política. Com uma mistura de desconfiança por não saber o que levaria uma pessoa desistir de um cargo tão importante e com pouca repercussão na imprensa, Flávio Dino filiou-se ao PCdoB e conseguiu se eleger Deputado Federal com mais de 120 mil votos logo na sua primeira eleição.

Com uma atuação destacada no Congresso Nacional, Flávio Dino concorreu em 2008 à prefeitura de São Luís, vindo a ser derrotado pelo atual prefeito João Castelo, mas apresentou-se com uma nova opção no cenário político, com uma campanha entusiasmante, cheia de brilho nos olhos e despertou a esperança novamente aos ludovicenses de ter uma pessoa preparada, estudiosa e com habilidade política pouco vista nos últimos anos, até mesmo no cenário nacional.

Em 2010, quando poderia ter optado por uma reeleição tranquila para Deputado Federal ou ter concorrido a uma possível condução ao Senado Federal, Flávio Dino resolveu peitar o grupo dominante e o governador injustamente deposto pelo TSE, Dr. Jackson Lago. Lançou-se candidato ao Governo do Estado Maranhão e mesmo sendo traído pelo PT Nacional e tendo apenas 2’27 minutos no horário eleitoral, Flávio Dino tornou-se uma liderança DIGNA de oposição, levando a população do Estado a um engajamento gratuito em sua campanha que, em razão do flagrante abuso do poder econômico, não se chegou ao segundo turno dessas eleições.

De cabeça erguida e sabedor que se tornara um grande líder, Flávio Dino passou acompanhar de perto o Governo “eleito” e em seguida foi convidado para presidir a Embratur, mas não deixou de observar o campo político do seu Estado.

Infelizmente, uma grande tragédia pessoal acometeu esse grande líder, que foi a morte prematura do seu filho Marcelo Dino. Ferido e bastante debilitado, Flávio Dino atualmente reúne forças para combater o gravíssimo problema de saúde que o país enfrenta e sua intenção é de evitar que novas mortes como a do seu filho ocorram.

Franco favorito para se eleger ao cargo de prefeito de São Luís logo no primeiro turno, Flávio Dino, juntamente com o PCdoB, concluíram que sua posição no campo político vai além da sua cidade… Há necessidade de se manter em evidência na esfera estadual e não poderia se resumir às eleições de apenas uma cidade.

Flávio Dino e PCdoB, num movimento que apenas líderes de verdade conseguem observar resolveram não ser apenas candidato à prefeitura de São Luís, mas de todas as cidades do Maranhão e Flávio Dino como grande “puxador de votos” pode sacramentar a eleição de vários aliados políticos este ano, o que viabilizaria e consolidaria sua candidatura para as eleições do Governo do Estado em 2014.

Por isso a decisão de não concorrer à prefeitura de São Luís foi a mais acertada. Alguns podem pensar que Flávio Dino foi egoísta com essa decisão, mas essa conclusão não se sustenta, na medida em que egoísta ele se tornaria se quisesse assumir o poder de qualquer maneira, mas deixando de concorrer este ano ele demonstra a sua grandeza e preparo político de um grande estrategista, com objetivo devidamente traçado e consolidado.

E de egoísmo esse líder parece não sofrer, pois deixou o cargo de juiz federal para ser um homem público e dar à população do Estado uma opção de alternância de domínio político que se arrasta há 50 (cinquenta) anos.

Hoje esse líder trabalha com um grupo coeso, que sabe o que quer e pela primeira vez a oposição do Maranhão age de forma inteligente e movimentos sempre pensando no futuro e não no imediatismo.

O Maranhão vive um processo de mudança que necessariamente deve ocorrer e tem na oposição um líder preparado e que dá esperança de novos tempos ao Estado e à sua população. Afinal, como já dizia Napoleão Bonaparte “um líder é um vendedor de esperança” e Flávio Dino nos faz acreditar que há esperança ao nosso Estado.

***Gutemberg Braga – Advogado, Membro do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB, Especializando em Direito Ambiental.

Comments are closed.